4.A ESTRATÉGIA

by theknownothinginvestor

Tinha reunido cerca de 7500€, o que para a média portuguesa pode ser considerado uma quantia aceitável, especialmente quando se tem uma jovem família para sustentar e acabou de se assistir ao corte do salário para menos de 1200€ por mês.

Como disse anteriormente, optei pela negociação de CFD sobre ações por causa da alavancagem que poderia obter, o que quer dizer que ficaria com cerca de 75 000€ de total de fundos para investir. Bem bom, hum?

Também estabeleci que o máximo que poderia perder era 750 € ou 10%, se preferirem, do meu capital incial. Esta regra foi a minha primeira e tentei que fosse a mais forte. Se atingisse essa perda iria para por uns meses para repensar a minha estratégia. Mas de certeza absoluta que tal não aconteceria.

O estilo de negociação com o qual estava mais familiarizado era o trend-following, porque era relativamente simples de eu perceber e de identificar as tendências. Até utilizei alguma programação rudimentar, baseada em médias móveis, que me indicava os pontos de entrada e de saída. E os testes indicavam lucros interessantes. Estava-me a tornar mesmo bom…

Estabeleci, também, que compraria 10 acções para ter alguma diversificação e mitigação do risco. Posições longas seriam 7 e curtas seriam 3, muito baseado na estratégia 130-30 portefólio, porque na altura tinha lido um estudo que era melhor forma de ter um bom retorno e menos risco.

 

Escolher Ações

Comecei a pesquisar as maiores empresas, as blue chips, perto de máximos, porque se estão em máximos existe uma grande probabilidade de valorizarem ainda mais. Em oposição, para abrir uma posição curta, procurava ações com tendência descendente e que faziam novos mínimos.

Pesquisava ações em movimento ascendente perto da média móvel de 50 dias para comprar e, para vender, ações abaixo da média móvel de 200 dias.

Até utilizava filtros para me dar listas completas de acções em situação semelhante.

A ideia era conseguir identificar as grandes tendências “à lá turtles”. Um plano muito simples de fácil compreensão e domínio.

Procurei, também, alguma diversificação geográfica, na medida que existem diferenças entre os ciclos económicos dos países, e assim, ao fazê-lo estava a reduzir o meu risco.

 

Gestão de Capital

A gestão de capital foi um dos principais aspectos da minha aprendizagem. Neste “jogo” acaba-se por perder invariavelmente dinheiro. Faz parte do jogo e à que saber aceitá-lo, mas perder todo o meu dinheiro e esforço de dois anos a poupá-lo era uma não opção. Seria um falhanço incrivel e a dor emocional seria devastadora, que provavelmente nunca mais olharia para o investimento em ações. Olhei, por isso, para a gestão de capital como a minha rede de segurança.

A minha gestão de capital seria muito simples, escolhera uma ação que reunisse os meus atributos pré-definidos e então identificaria um ponto mais baixo que a média móvel de 50 dias ou um novo mínimo mais alto que o anterior, numa tendência ascendente. Nesta zona colocaria o meu stop e tentaria comprar a ação o mais perto possível desta zona. A diferença entre a minha compra e o meu stop equivaleria entre 1% e 3% do meu capital total. Este era o dinheiro que estava disposto a perder num único trade. Isto implicaria pouco espaço para errar porque pararia de negociar se atingisse 10% de perda de capital.

Contudo, estava confiante que teria sucesso.

 

Piramidagem dos lucros

Por outro lado, estabeleci que se tivesse corretamente identificado uma tendência ascendente numa ação, aproveitaria as correcções do mercado para reforçar a posição, mas mantendo o mesmo risco. Deixar sempre correr os proveitos, como dizem os profissionais.

Isto é relativamente fácil de executar. Imaginemos que se comprou um ação e se arriscou 1% do total do capital. Passado uns meses, temos um lucro potencial de 20%. Entretanto a ação entra uma fase de correção e o preço cai 8%, mas não chega a fazer um preço abaixo do anterior mínimo (na zona onde se tinha estabelecido o stop), fazendo um mínino mais alto. Se retomar a tendência ascendente é sinal que o pior já passou e aí podemos mover o nosso stop para a nova zona do mínimo relativo. Isto significa que já não temos 1% do nosso capital em risco e que temos um trade positivo. Agora, podemos reforçar a posição e manter o mesmo risco inicial de 1%. A piramidagem é sem dúvida um bom potenciador de lucros.

SPY

Market Timing

Não cheguei a pensar muito neste aspecto. Hoje sei que é importante para uma boa estratégia. Na altura pensei que iria com a maralha, enquanto a tedência durasse.


Esta era a minha abordagem para retirar o meu quinhão dos mercados. Um plano simples porque a realidade é complicada e não vale a pena juntar-lhe mais camadas de complicação.

 

PTEN

Advertisements